Pages

27/04/2015

Homens ao volante - os empata-trânsito! (Crónica #11)


É muito comum ouvirmos por aí,  que não fomos talhadas para a estrada, que as mulheres empatam o trânsito, que são azelhas, distraídas, blá blá, blá…

Isso sempre me tirou do sério, não só pelo excesso de masculinidade no comentário, como por, em boa verdade, ser um cliché, que não passa disso mesmo. 


Ao bom jeito Ravioli, andei a semana toda a observar o comportamento masculino na estrada.   Digamos que foi uma semana de quilometragem significativa, por isso, consegui uma boa amostra!

A minha deusa interior está a rejubilar, pois conclui que quem empata mais o trânsito, são mesmo eles!!

No outro dia, ia eu a derreter pneus, cheia de pressa (sim, adormecemos todos cá em casa!), e estive mais de 5 minutos para que alguém me deixasse entrar numa rotunda. Contei os carros todos: Opel cinza - mulher; BMW azul - mulher; Smart laranja - mulher; Audi preto - mulher… hum… alerta, alerta - homem a aproximar-se! Kia cinzento - homem!

Vitória! Vitória! Gentilmente parou, e deixou-me passar… e à mulher que ia atrás de mim… e ao outro carro atrás, que era da minha vizinha… tão querido! Resultado? Buzinadela geral, ia eu já a sair da rotunda - era uma mulher apressada como eu, de certeza – pensei eu!


Conclusão 1- as mulheres não deixam passar ninguém, e por isso não empatam!

A cortesia masculina, (que sabe tãaaooo bem…), empata o trânsito, sobretudo se se reunirem várias condutoras-fêmea em simultâneo…

A minha observação teve outro momento de luz, quando, já ao final do dia, bem a meio da semana, ía eu buscar a minha Princesa à Escola.

Por acaso estava uma tarde ensolarada de primavera, e já “muito calor” se fazia sentir nas indumentárias femininas…

À minha frente, um Boxster descapotável com dois rapazotes na flor da idade, cumpria o código, deixando passar três anciãos, que carregando o mundo nas costas, lá atravessaram até ao outro lado, nuns infinitos 2 minutos…

Ok. Missão cumprida. Vamos arrancar? Hellooo?! Vamos arrancar? Porque não arranca depressa um carro, que tem mais cavalos que o centro hípico mais famoso do mundo? Estranho - pensei. Vou armar-me em parva e dou-lhes uma buzinadela ou…
Ah! Fez-se luz na minha estranheza… a uns escassos 100 metros da passadeira, aproximava-se um anjo negro, uma catwoman, que gateava umas esculturais pernas cobertas por uns leggings de cabedal pretos.
Não conseguiram arrancar, foi mais forte que eles. Preferiram esperar, e ver se a catwoman ia realmente atravessar… o que acabou por não acontecer.
Boa! É desta que eles arrancam – disse, esfregando as mãos de contente

Aguardo com expectativa o arranque. Nada acontece!

Outra beldade, albergando um curtíssimo, decotadíssimo, e justíssimo vestido vermelho, fez a travessia. (Bolas, aquele decote ia até ao cabo bojador!).


Valeu a pena esperar, devem ter pensado os rapazotes!
Percebendo a hegemonia do momento, a beldade de vermelho resolve demorar-se na sua travessia...



“Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça, é ela menina, que vem e que passa…” - o quê? Esta música? Ainda dizem que não há coincidências!

Aumentei o som, e recostei-me para ouvir.

Atrás de mim, uma fila impaciente começou a manifestar impaciência, e lá arrancamos todos! Ufa! Esta foi difícil!


Conclusão 2 - A imaginação masculina, (que sabe tãaaooo bem…) empata o trânsito. Sabe-se lá o que vai naquelas cabeças, quando uma beldade atravessa à sua frente!

Sexta-feira, 8h30, e tudo a dormir! Foi talvez a corrida mais louca do mundo e em 15 minutos fiz-me à estrada. No primeiro semáforo mirei-me no retrovisor. AGGGHHHHHHHH! Tenho que dar um jeito a isto. Com a destreza dos 4 braços de Ganesha lá consegui aceder ao meu necessaire. 



Ok. Vamos a isto! Em dois semáforos consegui pôr sombra, o rímel e um gloss. Já não pareço saída das catacumbas! Empataste o trânsito? - perguntam vocês. Não! Empataram eles. Nos dois semáforos onde estive parada, os condutores ao meu lado eram homens. De tão incrédulos do que estavam a ver, o sinal verde abriu, e eu segui. Eles não. Talvez a processar o bicho estranhamente sexy que nós somos, lá ficaram a empatar na fila, e só depois da Buzinadela de trás, é que acordaram para a vida.

Conclusão 3 - A curiosidade masculina (que sabe tãaaooo bem…) empata o trânsito. E depois demoram para acordar…

Beijinhos da Ravioli com queijo! Y
SHARE:

1 comentário

  1. Tal e qual, eu chego a sair do carro para ajudar tais deslumbrantes criaturas a atravessar a pass(e)adeira! E não, nunca fui escuteiro!

    ResponderEliminar

© A Ravioli. All rights reserved.

Design by WE BLOG YOU